A CIÊNCIA DE FELICIDADE

felicidade
2 minutos para ler

Quer ter sucesso? Seja feliz. Isto é o que revelou a pesquisa da cientista Sonja Lyubomirsky, da University of California – revelou que a felicidade é a causa do sucesso.

Um dos precursores do tema foi o Profº  Tal Ben Shahar, da Universidade de Harvard que começou a discutir o tema. A popularidade de suas aulas fez tanto sucesso que hoje é uma mais disputadas em Harvard.

Já sabíamos que o sentimento de felicidade libera hormônios, como a ocitocina, que aumentam a capacidade cognitiva.

O que a felicidade traz

Muitas descobertas da ciência comprovam que pessoas felizes são mais satisfeitas com suas vidas, relacionam-se melhor, aproveitam mais o presente, gostam mais de si mesmas, têm poucos sinais de depressão, têm menos expressões de genes relacionados a inflamações no organismo (que são causa de qualquer doença), são mais otimistas, entendem melhor o propósito de suas vidas, constroem melhores hábitos mentais, têm interações sociais de mais qualidade, são mais resilientes, apresentam menores níveis de hormônios relacionados ao estresse, têm sistemas imunológicos melhores, sofrem menos de pressão alta, têm menos dores e menor probabilidade em ficar gripadas, dormem melhor, apresentam poucas chances de desenvolver hipertensão, diabetes, infarto e, não surpreendentemente, vivem mais.

A felicidade também tem efeitos positivos no ambiente de trabalho. Um estudo realizado pelo Center for Positive Organizational Scholarship, da Universidade da Califórnia, mostra que um trabalhador feliz é, em média, 31% mais produtivo, três vezes mais criativo e suas vendas são 37% mais elevadas, em comparação com outros.

Por isso a importância de se realizar uma avaliação de clima, bem como estar atento a saúde mental dos seus colaboradores, afinal ser feliz é o que importa.

Você também pode gostar

Deixe um comentário